Home » SAÚDE » Vírus manipulados podem combater resistência aos medicamentos
Os vírus atacam as bactérias por um mecanismo diferente dos antibióticos, reduzindo o risco de resistência.

Vírus manipulados podem combater resistência aos medicamentos

Vírus em vez de antibióticos

Na batalha contra a resistência aos antibióticos, muitos cientistas têm tentado implantar vírus naturais, chamados bacteriófagos, que podem infectar e matar bactérias.

Os bacteriófagos matam as bactérias através de mecanismos diferentes dos antibióticos, e podem atingir cepas específicas, o que os torna uma opção atraente para potencialmente superar a multirresistência, a resistência de algumas cepas bacterianas a múltiplos antibióticos.

No entanto, encontrar e otimizar rapidamente bacteriófagos bem definidos para uso contra um alvo bacteriano específico é um trabalho insano.

Por isso, bioengenheiros do MIT (EUA) partiram para a programação genética. Eles demonstraram ser possível programar rapidamente um bacteriófago para matar diferentes cepas de E. coli fazendo mutações em uma proteína viral que se liga às células hospedeiras. Esses bacteriófagos modificados também têm menor probabilidade de provocar resistência nas bactérias.

“Os fagos representam uma maneira muito diferente de matar as bactérias do que os antibióticos, o que é complementar aos antibióticos, em vez de tentar substituí-los,” disse o professor Timothy Lu.

Vírus contra bactérias

Os pesquisadores criaram vários fagos manipulados geneticamente que mataram a bactéria E. coli cultivada em laboratório. Um dos bacteriófagos recém-criados também foi capaz de eliminar, de uma infecção de pele em camundongos, duas cepas de E. coli que são resistentes aos vírus naturais.

Para facilitar o desenvolvimento de tais tratamentos, a equipe vem trabalhando em “suportes” virais projetados que possam ser facilmente adaptados para atingir diferentes cepas bacterianas ou diferentes mecanismos de resistência.

“Acreditamos que os fagos são um bom conjunto de ferramentas para matar e derrubar os níveis de bactérias dentro de um ecossistema complexo, mas de maneira direcionada,” defende Lu.

A equipe agora planeja aplicar a abordagem que desenvolveram para alvejar outros mecanismos de resistência usados pelas bactérias E. coli, e eles também esperam desenvolver bacteriófagos que possam matar outros tipos de bactérias nocivas.

“Este é apenas o começo, pois existem muitos outros suportes e bactérias virais a serem alvejadas,” disse o pesquisador Kevin Yehl.

About admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Check Also

Planta amazônica tem efeitos antitumorais multiplicados em laboratório

Unha-de-gato Pesquisadores de Ribeirão Preto e de São Carlos conseguiram sintetizar em laboratório formas modificadas ...