Home » NACIONAL » Aprovado pedido de fiscalização do TCU das ações do governo sobre derramamento de óleo

Aprovado pedido de fiscalização do TCU das ações do governo sobre derramamento de óleo

Senador Humberto Costa aponta falta de providência efetiva do governo para minorar os efeitos da poluição

O Plenário aprovou na quarta-feira (11) requerimento, de autoria de Humberto Costa (PT-PE) e outros senadores, que solicita a fiscalização por parte do Tribunal de Contas da União (TCU) das ações desenvolvidas pelo governo federal sobre o derramamento de óleo que atingiu o Nordeste.

O requerimento (10.090/2019) solicita a retificação de outro (RQS 932/2019), do mesmo autor, que havia sido aprovado em Plenário no mês de outubro. O novo requerimento foi elaborado, segundo o autor, pois os parlamentares que propuseram o outro reavaliaram o pedido e acharam que seria de melhor alcance solicitar fiscalização ao TCU, ao invés de auditoria operacional.

O vazamento de óleo já é considerado como o maior acidente ambiental em extensão visto até hoje no Brasil, pois comprometeu 2.100 km de praias, prejudicando a vida marinha, a saúde humana e as atividades econômicas desenvolvidas nas cidades litorâneas. O objetivo é solicitar uma investigação sobre a forma em que o governo federal agiu frente a esse desastre.

“Muito embora a situação seja extremamente grave e esteja a prejudicar a vida marinha, a pesca, o turismo, ou seja, o meio ambiente em diversas vertentes, até o presente momento nenhuma providência efetiva foi adotada pelo governo federal, no sentido de identificar a origem da poluição, adotar os mecanismos para descontinuar o ocorrido ou minorar seus efeitos”, ressaltam os autores na justificativa do requerimento.

Segundo eles, o governo agiu de forma negligente por não colocar em prática o Plano Nacional de Contingência (PNC) para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional, previsto no Decreto 8.127/2013. Em vez disso, de acordo com os autores, o Ministro do Meio ambiente (MMA) culpou, sem provas, a Venezuela pelo desastre ambiental que teria sido causado por um navio estrangeiro.

“Pode-se afirmar que diante desse incidente de poluição por óleo do litoral nordeste do país, o governo do qual faz parte o Ministério do Meio Ambiente respondeu com negligência e viés ideológico, ao invés de mobilizar, coordenar e colocar em prática o conjunto de medidas previstas e determinadas em leis e demais instrumentos normativos”, explicam os senadores.

Além disso, os parlamentares ressaltam que o Ibama, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) já foram atacados diversas vezes pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles e que os servidores do Ministério do Meio Ambiente relatam estar passando por diversos problemas dentro do órgão, o que prejudicaria a atuação do MMA.

About admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Check Also

Projeto tipifica crime de adulteração de placas e chassis de reboques

O Projeto de Lei 5385/19 torna crime adulterar ou remarcar número de chassi, placa de ...