Mês do Consumidor – Mulher entre 31 e 40 anos é quem mais procura atendimento no Procon-JP

Quem mais ‘marca presença’ no Procon-JP? Qual o sexo predominante? E a faixa etária? De qual parte da cidade? Em qual horário? A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor responde a estas perguntas através da divulgação do perfil daquelas pessoas que costumam ‘visitar’ o SAC da Secretaria. O sexo feminino entre 31 e 40 anos é quem mais procura atendimento. O horário crítico de comparecimentos é às 10h.

A divulgação do perfil faz parte da programação dedicada ao Dia Mundial do Consumidor, comemorado a 15 de março, com atividades previstas para todo o mês e, entre elas, um novo posto de atendimento do Procon-JP, campanhas e palestras educativas sobre a relação de consumo em faculdades, visita do serviço itinerante aos bairros, fechamento de parcerias com órgãos e instituições públicas e a divulgação do Cadastro das Reclamações Fundamentadas.

De acordo com os dados do Sistema Nacional de Informações e Defesa do Consumidor (Sindec), onde são inseridas as informações das pessoas que abrem reclamações no SAC do Procon-JP, a mulher, entre os 31 e 40 anos, é quem mais ‘reclama’ e corre atrás de orientações sobre os seus direitos, somando 52,78% do total do atendimento no SAC, atualmente. E quando se trata de informações através do 0800 083 2015, o percentual chega a 70%.

Emelyn – A consultora de seguros Emelyn Costa, 28, faz parte da estatística que coloca a mulher em primeiro lugar quando se trata de ‘brigar’ pelos direitos.”É a primeira vez que estou aqui e já resolvi meu problema através do contato por linha direta feito pelo advogado do Procon-JP com loja da qual reclamei”, disse Emelyn Costa, acrescentando que nunca mais vai deixar ‘pra lá’ quando se sentir prejudicada ao adquirir um bem ou serviço. “Estou muito satisfeita com a atuação do Procon-JP”.

Já foi maior – O secretário Helton Renê informa que esse número ‘feminino’ já foi muito maior. “De acordo com dados do nosso Sindec, a mulher está mais preocupada em se defender dos problemas que, via de regra, surgem na relação consumerista, no entanto, saliento que esse percentual já foi bem maior em anos anteriores. “De uns dois anos para cá, parece que o homem está ficando mais atento, mais consciente, o que é muito bom”. Ele adianta que o percentual masculino está em 47,2%.

Idade – Mas, qual a idade média de quem vem ao Procon-JP? Com 23% do total do atendimento, a pessoa que mais comparece ao SAC da Secretaria tem entre 31 e 40 anos. Em segundo lugar (20%) vem o consumidor entre 51 e 60 anos, seguido daquelas pessoas na faixa etária entre 41 e 50 anos (19,65%). Com 15,20%, os jovens entre 21 e 30 anos sãos seguidos de perto pelos idosos entre 61 e 70 anos (13,51%) e os com mais de 70 anos (6,89%). O percentual para consumidores até 20 anos soma apenas 1,76%.

Horário de pique – Segundo o titular do Procon-JP, o horário com o maior número de pessoas no Procon-JP é verificado às 10h, com 22,38% do atendimento diário, seguido das 11h, com 20,61%. “Das 9h, onde se verifica que 19,63% dos consumidores estão chegando à sede da Secretária, até as 12h, com 11,01%, é o momento do ‘pique’ em nosso SAC. São as horas mais problemáticas”, disse Helton Renê.

Onde mora – É do bairro de Mangabeira que vem a maior parte dos consumidores que mais ‘desembarcam’ no SAC do Procon-JP. De acordo com dados do Sindec, foram 610 em 2017 e, este ano, já chegam a 152. Os outros bairros mais demandados em 2018 são Centro, Gramame, Valentina de Figueiredo, Manaíra, Oitizeiro, Bancários, Cruz das Armas, Jaguaribe e Alto do Mateus. “Baseados nesses números estamos montando o calendário do Procon-JPmóvel, uma forma de desafogar o atendimento na sede da Secretaria”, informou Helton Renê.

Mês do Consumidor – Ao longo do mês de março, o Procon-JP realizará diversas atividades dentro da programação dedicada ao Dia Mundial do Consumidor, comemorado em 15 de março. “Vamos fazer várias atividades e, entre elas, está prevista a abertura de um novo posto de atendimento, campanhas educativas, visita do serviço itinerante aos bairros, fechamento de parcerias com órgãos e instituições públicas e, é claro, a divulgação do Cadastro das Reclamações Fundamentadas, informando ao consumidor o resultado dos processos administrativos abertos na Secretaria”, informou Helton Renê.

Percentuais

– Mulher: 52,78%
– Idade: 31 a 40 anos – 23%
– Horário de pique: 10h – 22,38%
– Bairro: Mangabeira

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

%d blogueiros gostam disto: