Connect with us

Educação & Cultura

Cotas raciais: quem pode, de fato, concorrer como PPI

Não vale apenas alegar que os pais ou avós são negros. Entenda melhor!

Em uma decisão histórica, a USP, maior universidade do país, decidiu no início deste mês expulsar um aluno por fraude nas cotas étnico-raciais. Ingressante pelo Sisu em 2019, o estudante entrou no curso de Relações Internacionais por meio das cotas PPI (para pretos, pardos e indígenas), alegando não somente ser pardo, como também ter baixa renda (inferior a um salário mínimo e meio por pessoa da família). O conselho do Instituto de Relações Internacionais estudou o caso e chegou à conclusão de que ele não pertencia a nenhum dos grupos. 

Apesar de ser a primeira expulsão da USP, a medida não é isolada e acompanha a tendência de outras grandes universidades brasileiras, que começaram a apurar fraudes, especialmente após a adoção do Sisu. A expulsão de 15 estudantes e cassação de dois diplomas de ex-alunos da Universidade de Brasília (UnB) também ganhou os noticiários e as timelines nas últimas semana. Ao todo, a UnB investigou 28 casos de possíveis fraudes, e além desses já mencionados, outros oito estudantes que estavam afastados da universidade perderam os créditos que haviam cursado até o momento. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) apura 280 casos desde que implantou o sistema de cotas, enquanto a própria USP investiga 41 denúncias no momento –  apesar de o Comitê Antifraude, extraoficial e criado por alunos do curso de Direito, indicar que o problema pode ser muito maior. Segundo o advogado Lucas Módolo, um dos fundadores do comitê em 2018, um formulário criado por eles naquele ano recebeu mil denúncias de possíveis fraudes. 

A expulsão, embora não seja a medida ideal por demorar muito tempo e impedir que a vaga seja transmitida aos estudantes que de fato teriam direito a ela, é importante para dar visibilidade aos casos de fraude. Além disso, ela levanta debates sobre privilégios e racismo na sociedade. Afinal de contas, por que esse estudante foi considerado fraudador se tinha, segundo declarou, ascendência negra? E os casos de alunos de outras universidades que apresentaram a mesma justificativa e também foram desligados por fraude? Entenda o que dá ou não direito a um estudante a concorrer pela modalidade de cotas PPI no vestibular. 

O que dizem os editais 

Além do manual do candidato, o outro oráculo de todo vestibulando é – ou pelo menos deveria ser – o edital do vestibular. Sim, os editais são extensos, cheios de detalhes e com uma linguagem menos acessível que a do manual, mas é lá que você encontrará com mais detalhes as informações “legais” e regras importantes que regem o processo seletivo. Portanto, é esse documento que você deve consultar antes de qualquer coisa se está em dúvida sobre ter ou não direito a alguma modalidade de cotas no vestibular. No caso das cotas sociais a conversa é mais simples: é preciso ter estudado em escolas públicas durante o Ensino Médio. Se possuir uma renda de até 1,5 salário mínimo por pessoa da família, ainda tem direito a uma outra categoria de cotas que une as duas coisas.  

Mas quando a conversa são cotas raciais, o debate é mais complexo e delicado. Muitos alunos acusados de fraude se valem do argumento de que são pardos e que possuem ascendência negra (ou seja, que seus pais, avós ou até bisavós são ou eram negros) e que por isso se enquadram no grupo PPI, mesmo que possuam pouquíssimos ou nenhum traço físico que os caracterizaria como tal. Algumas universidades, como a USP, estão prontas para rebater esse tipo de alegação. O edital Sisu-USP deixa bem claro que, para além da autodeclaração no vestibular, os candidatos “deverão possuir traços fenotípicos que os caracterizem como negro, de cor preta ou parda ou, no caso dos indígenas, que não forem registrados civilmente como indígenas, é obrigatória a apresentação da Certidão do registro administrativo expedida pela Funai (Rani)”.

Ou seja, os candidatos devem não apenas ter ascendência, mas também serem “lidos” como negros. Matheus Gregorio Tupiná Silva, estudante de Relações Internacionais na USP e membro do Coletivo Negro Lélia Gonzales, responsável pela denúncia que resultou no caso de expulsão, explica que em um país com a história do Brasil, que passou por um longo período de escravidão e, depois, de branqueamento da sociedade, a miscigenação é muito grande. Por isso, no limite, quase todas as pessoas teriam o direito às cotas raciais por terem algum parente negro na árvore genealógica. Assim, as cotas raciais seriam pouco eficazes para lidar com os problemas impostos pelo racismo. 

O que diz o bom senso

Mas, afinal, que problemas são esses e por que a análise fenotípica resolveria a questão de forma melhor do que a ascendência? Segundo Lucas Módolo, a nossa sociologia ensina que o preconceito racial por aqui é um preconceito “de marca”. Ou seja, as pessoas sofrem racismo por serem lidas como negras, e por isso alguém com pais negros mas vista perante a sociedade como branco não enfrenta as mesmas dificuldade que alguém que é visto como negro pela cor da sua pele e por outras características físicas, como nariz mais largo, lábios grossos e cabelos crespos. 

Por isso, para além da avaliação dos critérios dos editais – já que muitos não são tão precisos como o da USP e apoiam-se apenas na autodeclaração, deixando espaço para contestação dos fraudadores – cabe também o bom senso do candidato em avaliar se possui algumas dessas características físicas que já o fizeram sofrer racismo. Matheus dá alguns exemplos: “Em algum momento guardaram o celular quando te viram passar? Você já foi seguido por segurança em alguma loja? A exclusão desses espaços se deu por racismo e você já perdeu alguma oportunidade por conta dos seus traços fenotípicos?”. 

Segundo ele, esse tipo de questionamento foi importante quando prestou vestibular. Matheus é uma pessoa negra de pele clara e isso o fez refletir se deveria valer-se das cotas. Por fim, depois de pensar sobre sua trajetória, entendeu que teria, sim, direito a concorrer pela modalidade. Sobre isso, aliás, Módolo afirma que o objetivo da análise fenotípica não é de forma alguma intimidar ou excluir pessoas negras claras, que, por apresentarem, além da cor da pele, outros traços físicos que as tornam vulneráveis ao racismo, também têm seu direito assegurado de concorrer pela modalidade PPI. 

Expulsão e responsabilização

Fraudar cotas raciais pode ter consequências que vão além da expulsão e da impossibilidade de concorrer aos próximos vestibulares na instituição. A estudante de Contabilidade Ana Luisa Calvo Tibério, que atuou por dois anos como representante discente na Comissão de Acompanhamento da Política de Inclusão da USP, órgão oficial que acompanha a política de cotas na universidade, aponta que há ainda uma discussão sobre a possibilidade de o candidato ser processado pela universidade e responder legalmente pela fraude, tendo ao fim que ressarci-la pelo dinheiro que foi investido nele durante o tempo em que estudou lá. No mês passado, o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro já havia apontado essa possibilidade em relação aos casos de fraude na UFRJ e na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Em 2017, uma estudante fraudou as cotas raciais e entrou no curso de Direito na Unirio. Depois desse caso, a universidade decidiu criar uma Comissão de Heteroidentificação (em que são avaliados os traços fenotípicos) para verificar se os alunos ingressantes pelas cotas cumpriam os requisitos presentes no edital. A comissão leva esse nome porque a avaliação é baseada na leitura social de outras pessoas sobre a identidade do candidato.

Embora as consequências pareçam graves apenas para os fraudadores, a sociedade também perde muito com a fraude nas cotas raciais, que impedem a superação das desigualdades e a inserção de pessoas negras no ambiente universitário. Hoje, na maioria dos casos, as vagas de quem burlou o sistema de cotas é simplesmente perdida, em função especialmente da demora e da ingerência das universidades em apurar e responsabilizar os culpados. Para o Comitê Antifraude da USP, as listas de espera deveriam ser recuperadas para que o verdadeiro beneficiário pudesse assumir a vaga. Outras opções seriam oferecer a vaga no próximo processo seletivo ou convidar um estudante negro ou indígena de uma universidade privada.

Trocando em miúdos

Ainda tem dúvidas sobre o que dá, afinal, o direito ao estudante de concorrer pela modalidade de cotas PPI? Aí vai um apanhado do que abordamos até aqui e um pequeno manual de prevenção às fraudes!

  • A autodeclaração versus o que dizem os editais

A autodeclaração, ou seja, o reconhecimento feito pelo próprio candidato de que ele pertence ao grupo de pretos, pardos ou indígenas é o princípio básico que norteia as cotas PPI de acordo com a Lei de Cotas sancionada em 2012, que tem validade nacional.

As universidades têm, no entanto, a possibilidade de complementar os critérios para a adoção de cotas raciais em seus editais, e muitas delas, como a USP e a UFRGS, o fazem. Elas especificam que, além da autodeclaração, os candidatos precisam apresentar ao menos algumas características fenotípicas próprias de pessoas negras ou pardas, como cabelo crespo, nariz largo ou lábios grossos, para que tenham direito à vaga nessa modalidade. Ou seja, elas precisam ser socialmente lidas como pessoas negras ou pardas.

  • E quando os editais não especificam a questão fenotípica? 

Mesmo assim, o candidato deve ter em mente que a universidade pode criar posteriormente mecanismos de verificação das cotas, como aconteceu na UnB. Assim, caso seja fraudador pode ter seu diploma cassado. E, é claro, mesmo que uma lei ou norma não o obrigue a isso, cabe o bom senso em refletir se suas características físicas em algum momento já o fizeram sofrer racismo e perder oportunidades. Lembre-se que, ao fraudar as cotas, uma outra pessoa que realmente tinha direito a ela deixa de realizar o sonho de entrar na universidade e perde uma possível chance de transformar sua realidade social.

Continue Reading
Advertisement

Relógio

Grupo do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Portal Informa Paraíba

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias

TWITTER DO PORTAL INFORMA PARAÍBA

www.informaparaiba.com.br

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias.

Página do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Politíca24 horas ago

Adriano Galdino recebe título de cidadão itabaianense em cerimônia solene

CONCURSO E EMPREGO1 dia ago

Energisa Paraíba anuncia mais 150 novas vagas de emprego em diversas cidades da Paraíba

Politíca1 dia ago

ALPB debate LDO 2025 durante audiência pública em Sousa

Politíca1 dia ago

Ao lado de Zé Aldemir, Júnior Araújo celebra entrega de novo maquinário para infraestrutura de Cajazeiras     

Politíca1 dia ago

Na 3ª audiência para debater Projeto dos Combustíveis do Futuro, Veneziano confirma entrega de seu relatório até o mês de junho

ESTADO1 dia ago

Agevisa-PB reforça proibição da venda do álcool 70% líquido e destaca riscos no período junino

Nacional1 dia ago

Em 2023, 88,2% das pessoas de 5 anos ou mais haviam tomado pelo menos 2 doses de vacina contra covid-19

CIDADE1 dia ago

Famup destaca conquistas municipalistas documentadas na Carta da XXV Marcha em Defesa dos Municípios

Politíca1 dia ago

80% dos problemas de visão podem ser evitados; projeto de Camila cria a Política de Atenção Oftalmológica

Segurança Pública1 dia ago

Comissão aprova projeto que abre novo prazo para recadastramento de armas de uso permitido ou restrito

Segurança Pública1 dia ago

Projeto aprovado pune uso de inteligência artificial para criar material prejudicial a mulheres

Segurança Pública1 dia ago

Comissão aprova projeto que criminaliza práticas preconceituosas de agentes públicos e de segurança privada

Segurança Pública1 dia ago

Projeto define medidas de proteção para animais usados em busca e salvamento

Esporte1 dia ago

Comissão aprova projeto que exige separação de torcidas nos estádios

Internacional1 dia ago

ONU disponibiliza recursos para reforma da justiça e segurança de São Tomé e Príncipe

Judiciário1 dia ago

STF pede informações a Tribunais de Contas sobre compras de softwares espiões

Esporte1 dia ago

Câmara de Campina homenageará os craques do futebol

Educação & Cultura1 dia ago

Mesmo sem apoio federal, escolas cívico-militares avançam nos estados

Internacional1 dia ago

EUA alerta exércitos da América Latina sobre ‘inimigos’ da democracia

Saúde1 dia ago

Gordura na urina? Confira 5 motivos que explicam essa anomalia

Saúde1 dia ago

Entenda a fibromialgia, doença sem cura que acomete a atriz Franciely Freduzeski

Saúde1 dia ago

O que é a vingança do lado direito do cérebro?

AGRICULTURA & PECUÁRIA1 dia ago

Recuperação do setor de açúcar e álcool é exemplo para retomada da indústria

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 dia ago

Descubra funções secretas do roteador

Saúde1 dia ago

Colonoscopia: quando este exame deve ser feito?

Internacional1 dia ago

Justiça da Colômbia acusa ex-presidente Uribe de suborno e fraude

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 dia ago

6 dicas para melhorar o desempenho do seu computador

Esporte1 dia ago

Corinthians aguarda a procura de agentes de Gabigol e não teme a concorrência pelo atacante

Esporte1 dia ago

Resultados completos do FP3 em Mônaco | Leclerc dá a Verstappen a vantagem

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 dia ago

Como descobrir, bloquear e desbloquear o IMEI de um celular?

Internacional10 meses ago

Cidade alemã passa a distribuir gratuitamente filtro solar

Internacional11 meses ago

IMPRESSIONANTE – GOVERNO CANADENSE ADMITE: “Os não vacinados estavam certos sobre as vacinas de mRNA”

ENTRETENIMENTO11 meses ago

Exorcista: filme “Nefarious” é “o melhor já produzido” sobre possessão demoníaca

ENTRETENIMENTO10 meses ago

JIBÓIA

AGRICULTURA & PECUÁRIA5 meses ago

Com produtor revisando tamanho da safra, 2024 inicia cercado de incertezas para a soja

Internacional5 meses ago

Secretário-geral da ONU condena atos criminosos no Equador

CONCURSO E EMPREGO5 meses ago

Carreiras em Extinção? Veja Quais Podem Sumir

Nacional10 meses ago

CNS reconhece religiões afro como complementares ao SUS

ENTRETENIMENTO8 meses ago

Conheça Rocco, um cão mistura de rottweiler com husky siberiano: ‘Parece o Batman’

ECONOMIA5 meses ago

Calendário do Bolsa Família 2024: saiba quando você vai receber

Internacional5 meses ago

Fome já é generalizada em Gaza, alerta ONU

AGRICULTURA & PECUÁRIA5 meses ago

Número de IGs cresceu 60% em quatro anos no Brasil

CIDADE5 meses ago

Polêmica em Princesa Isabel: Vereadores aprovam aumento salarial próprio e do Executivo

Saúde5 meses ago

OS PRINCIPAIS LEGUMES E VERDURAS QUE AJUDAM A PREVENIR DOENÇAS CRÔNICAS

Internacional5 meses ago

Israel quer controlar e fechar fronteira entre Gaza e Egito

Judiciário9 meses ago

Informativo destaca não exigência de provas para fixação de indenização mínima por danos morais

Judiciário8 meses ago

Entender Direito: especialistas discutem os embargos de divergência

ENTRETENIMENTO5 meses ago

HORTÊNSIAS

Educação & Cultura5 meses ago

Campina Grande entra na disputa e poderá ser escolhida para receber nova Escola de Sargentos do Exército após impasse em Pernambuco

Internacional5 meses ago

“Perdas, dor e angústia” após ataques aéreos marcam o início do ano na Ucrânia

CIÊNCIA & TECNOLOGIA5 meses ago

Vale a pena usar um gerador de conteúdo para redes sociais?

Nacional12 meses ago

Relator lê parecer sobre indicação de Cristiano Zanin ao STF; sabatina está marcada para 21 de junho

Educação & Cultura11 meses ago

Novo ensino médio precisa levar em conta realidade de alunos e municípios, aponta debate

Nacional12 meses ago

Repórter da TV Globo é agredida por segurança de Maduro após questionamento

Nacional5 meses ago

TCU pede que ministra da Saúde pague R$ 11 milhões a cofres públicos

ECONOMIA12 meses ago

Por unanimidade, TCU aprova contas do governo Bolsonaro

CIDADE12 meses ago

Vereador Marlon vence queda de braço com prefeito de Sobrado e fica com comando do Republicanos no município

Educação & Cultura11 meses ago

EXCLUSIVO: Gilson Souto Maior lança em julho ‘História da Imprensa na Paraíba’

ENTRETENIMENTO5 meses ago

PASSEIO MOSTRA COMO É UM BORBOLETÁRIO

Nacional12 meses ago

Lula volta a defender ditadura: ‘Houve muito respeito com a participação do Maduro’

Internacional4 dias ago

EVENTO EM XANGAI AJUDA A ESTREITAR INVESTIMENTOS ENTRE BRASIL E CHINA

Saúde4 dias ago

COVID-19: VÍRUS SEGUE MORTAL E REFORÇA A IMPORTÂNCIA DA PREVENÇÃO

Judiciário4 dias ago

O NÚMERO DE JOVENS QUE DESEJAM VOTAR NAS ELEIÇÕES AUMENTA CONFORME O TSE

ECONOMIA4 dias ago

‘QUANDO ALGUÉM CONTROLA O DINHEIRO NA RELAÇÃO, CONTROLA A RELAÇÃO PROFUNDAMENTE’

Nacional4 dias ago

INUNDAÇÕES NO RS: O DESASTRE QUE MAIS ABALARÁ A ECONOMIA BRASILEIRA

Educação & Cultura4 dias ago

Senado Discute: incentivo a bibliotecas públicas e escolares

Saúde5 dias ago

ALERGIA ALIMENTAR: PROBLEMA AFETA 4 MILHÕES DE ADULTOS NO BRASIL

ENTRETENIMENTO5 dias ago

8 COISAS QUE PODEM MELHORAR SEU HUMOR E QUE NÃO ENVOLVEM DIETA OU EXERCÍCIO

Nacional5 dias ago

INUNDAÇÕES NO RS: O CHEF QUE PERDEU RESTAURANTES E FOI COZINHAR PARA DESABRIGADO

ENTRETENIMENTO5 dias ago

PIMENTA DE CHEIRO

Educação & Cultura5 dias ago

PLANETA ESTÁ VIRANDO UMA BOMBA CLIMÁTICA

ENTRETENIMENTO6 dias ago

REVOLUCIONANDO A AGRICULTURA: FLORES COMESTÍVEIS E AQUAPONIA

Saúde6 dias ago

PLANOS DE SAÚDE CANCELAM CONTRATOS DE CLIENTES ILEGALMENTE

CONCURSO E EMPREGO6 dias ago

ALERTA PARA O USO DE IA EM EXAMES DE RECRUTAMENTO

Saúde6 dias ago

FAPESP: VACINA CONTRA A GRIPE, PESQUISA CONTRA O COVID 19 E FUTURO INCERTO

Nacional6 dias ago

O VERDADEIRO TAMANHO DO DESASTRE NO RS – E AS OUTRAS CRISES QUE SE ANUNCIAM

ENTRETENIMENTO1 semana ago

DOBERMANN, O CACHORRO MAIS ASSUSTADOR

Educação & Cultura1 semana ago

A MODERNIZAÇÃO DOS COLÉGIOS AGRÍCOLAS NO PR

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 semana ago

GOVERNO LANÇA PORTAL CONTRA FAKE NEWS

ENTRETENIMENTO1 semana ago

DONA DE JARDIM COM MAIS DE 500 MIL SEGUIDORES COMPARTILHA CUIDADOS COM PLANTAS

Internacional1 semana ago

CIDADES DO MUNDO SOFREM COM COLAPSOS CLIMÁTICOS COMO DO RS

AGRICULTURA & PECUÁRIA1 semana ago

PRODUÇÃO DE MEL COM ABELHAS SEM FERRÃO

AGRICULTURA & PECUÁRIA2 semanas ago

CAPRINOCULTURA – VALE A PENA INVESTIR?

Internacional2 semanas ago

REINO UNIDO: ESTAMOS PERTO DE ESCALADA NUCLEAR

Educação & Cultura2 semanas ago

BANCAS E LIVRARIAS SE REINVENTAM EM MEIO AO MERCADO DIGITAL

ECONOMIA2 semanas ago

SETOR DE VAREJO APRESENTA MELHORA E PODER DE COMPRA PODE ESTAR SUBINDO

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

RECEITA DO DOCE DE MAMÃO CRISTALIZADO

Internacional2 semanas ago

MONTEVIDÉU SE PREPARA PARA O AVANÇO DO MAR

ECONOMIA2 semanas ago

CRISE NO VAREJO: ESPECIALISTAS ANALISAM A CRISE PERSISTENTE NO SETOR

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

CONSERVAÇÃO DO MICO LEÃO PRETO

Advertisement
Advertisement

Vejam também

Somos o Portal Informa Paraíba, uma empresa de marketing e portal de informações que oferece um noticioso com assuntos diversos. Nosso objetivo é fornecer conteúdo relevante e atualizado para nossos leitores, mantendo-os informados sobre os acontecimentos mais importantes. Nossa equipe é composta por profissionais experientes e apaixonados por comunicação, que trabalham incansavelmente para oferecer um serviço de qualidade. Além disso, estamos sempre em busca de novas formas de melhorar e inovar, para podermos atender às necessidades e expectativas de nossos clientes. Seja bem-vindo ao nosso mundo de informações e descubra tudo o que o Portal Informa Paraíba tem a oferecer. Fiquem bem informados acessando o Portal Informa Paraíba: www.informaparaiba.com.br