Connect with us

Educação & Cultura

Com ciências em alta, o que professores podem fazer para diversificar suas aulas?

Com assuntos científicos diariamente no noticiário, é a vez de professores começarem a desmistificar a aprendizagem, seja em casa ou na escola, e investirem em atividades práticas

Atualmente, 136 vacinas estão em estudo no mundo todo, unidas em um único objetivo: conter o novo coronavírus (COVID-19). Desde o início da pandemia no Brasil, as manchetes de jornais carregam diariamente expressões como EPIs (Equipamento de Proteção Individual), vacina, medicamentos com ou sem comprovação científica, sequenciamento do genoma viral em tempo recorde por equipe brasileira e assim por diante.

O que todos esses assuntos têm em comum? A valorização da ciência a passos largos, assunto abordado em pesquisas e eventos. Em julho, a Conferência Ethos, realizada pela primeira vez de forma online, reuniu um time de infectologistas, pesquisadores e professores da Universidade Federal de Goiás e da USP (Universidade de São Paulo) para questionar ‘Sairemos da pandemia com uma ciência reforçada?’. Já a pesquisa “Juventudes e a Pandemia do Coronavírus” indicou que 5 a cada 10 jovens consideram que a pandemia pode trazer mais prestígio, reconhecimento e investimentos para a ciência e pesquisa e para a saúde pública.

Julia Moura, fundadora da TEC Educação e autora de 35 livros didáticos sobre como trabalhar ciências e tecnologia de maneira democrática em sala de aula, afirma que a pandemia apresentou uma abertura para que haja um diálogo nas residências brasileiras sobre a importância das ciências. “Eu já trabalho com ciências, então, para mim, EPI não era uma palavra nova. Mas nunca ouvi falar tanto nisso como estou ouvindo agora. Acho que nunca se falou tanto sobre ciência como nesse momento. Como se trata de fenômeno que envolve o mundo todo, começamos a enxergar que isso faz parte do nosso dia a dia, e assim surge a brecha para falarmos sobre o assunto”, explica.

Mais prática é igual a mais envolvimento
Para a especialista, além de aproveitar que assuntos científicos estão sendo amplamente abordados na mídia, usar o contexto atual também pode ser uma forma de diversificar o tipo de conteúdo a qual crianças e adolescentes têm acesso durante as aulas à distância.

Incentivar o engajamento e estimular o interesse por disciplinas e conteúdos que envolvam as ciências deve ser feito, segundo Julia, a partir de atividades práticas e mão na massa, nas quais os conceitos teóricos são explicados de maneira simples. Isso faz sentido: basta fazer um exercício de relembrar os tempos de escola. O que era mais legal: uma aula no laboratório ou uma aula expositiva na sala de aula?

“O método científico pressupõe que você analise o ambiente, formule e teste hipóteses. Essa parte do teste é muito rica para conseguir o engajamento da criança ou do jovem, porque estamos muito acostumados a aulas 100% expositivas, o que, em um contexto de aula remota, é mais difícil ainda de engajar”, defende.

Além disso, propor que estudantes se dediquem a atividades mais práticas possibilita um descanso das telas, amplamente usadas no momento para suprir a falta do contato presencial. “O olho começa a ficar seco e a mente a ficar dispersa. Pensar que crianças têm seis horas de aula todos os dias em frente a uma tela é quase uma jornada de trabalho.” Dessa forma, é algo como unir o útil ao agradável: aproveitar o assunto em alta, dinamizar as aulas, engajar os estudantes, propor atividades práticas que deem um descanso para o corpo e a mente e, junto a tudo isso, incentivar o aprendizado de ciências de forma mais descontraída. Para Julia, esse é o único caminho.

“O mais interessante é que só aprendemos ciências na prática. Nunca trabalhei ensino de ciências sem que as crianças construíssem suas próprias experiência. Todos os estudos e divulgações científicas são sempre feitos usando experimentos, e isso é muito legal porque você está aprendendo na prática. E, vale ressaltar: os maiores aprendizados são aqueles que aprendemos por nós mesmos. Então, se o aluno pode realizar um trabalho manual, é uma oportunidade bastante interessante. Se juntar a isso o ensino de ciências, fica melhor ainda.”

O que pode ser feito na prática?
Não é porque as aulas ainda estão sendo realizadas à distância e crianças e jovens não têm acesso ao laboratório de ciências da escola que não é possível propor atividades práticas. “Eu sempre faço uma pegadinha nas minhas palestras ao perguntar quem já teve acesso a um laboratório científico de alto rendimento. Quando ninguém levanta a mão, eu mostro a foto de uma cozinha, porque essa é a verdade: até hoje, muitos experimentos são realizados na cozinha de casa.”

Dessa forma, professores não precisam pensar em atividades mirabolantes para propor. Para estudar suspensão coloidal, exemplifica Julia, e conceitos como moléculas e fluido não-newtoniano, ela sugere algo simples, que todas as casas têm: água e Maizena (amido de milho). “Ao invés de só explicar os componentes da biologia e trabalhar uma fórmula de física, você pode propor que os alunos façam a mistura e manipulem. Quando eles colocam força e velocidade, a mistura fica dura. Quando mexem devagarinho, fica mole. Quando você trabalha usando seus sentidos e realmente transfere aquilo para uma experiência, fica muito mais fácil de aprender.”

Outra ideia é usar a linguagem dos próprios jovens e propor, por exemplo, que façam uma apresentação de determinado conteúdo usando um vídeo do TikTok. Indicar vídeos e filmes – ou até a produção de um vídeo, assim como de um seminário curto – são outras dicas. Para Julia, o importante é ter em mente a estreita relação entre o ensino de ciências e tecnologia e a experimentação.

Ciência é só no laboratório?
Outro exercício interessante é pensar que a atividade com maizena citada por Julia, por exemplo, não precisaria ser realizada, no caso do ensino presencial, no laboratório de ciências da escola; bastariam alguns potes em sala de aula e os alunos divididos em grupo. Esse seria um caminho simples e rápido para propor mudanças, mesmo que simples, na forma de ensinar ciências presencialmente. Entretanto, é igualmente fácil imaginar que seriam poucos os professores dispostos a realizar essa ‘bagunça momentânea’ em prol de uma atividade mão na massa.

Por isso, Julia reforça que a ciência geralmente não trabalha na ordem, mas sim acontece no caos. “Veja o que estamos vivendo agora. A vacina para o coronavírus é apenas a ponta do iceberg, teremos muitos outros avanços na ciência, que é usada para resolver problemas. Nesse sentido, acredito na importância da desconstrução dos padrões e do local onde a ciência é realizada, porque em um momento de necessidade, as pessoas simplesmente começam a fazer como e onde é possível.”

Isso explica o surgimento de diversos grupos de pessoas e iniciativas de produção de respiradores alternativos, EPIs e outros materiais para ajudar no combate à pandemia. Segundo a especialista, adultos e jovens que tiveram acesso a impressoras 3D, por exemplo, e decidiram imprimir componentes de escudos faciais são exemplos dos chamados cientistas cidadãos, pessoas que atuam para melhorar a sociedade desenvolvendo experiências e contribuindo da forma que podem, usando materiais aos quais têm acesso. “Esse movimento contribui para desconstruir algumas coisas, como a figura do laboratório e a ideia de que apenas os mais inteligentes podem fazer ciência. Isso não é verdade.”

A importância de democratizar o ensino de ciências
Com praticamente a vida toda dedicada ao tema, Julia defende a democratização do ensino de ciências e tecnologia e, para isso, afirma que é preciso iniciar um processo de repensar como esses conteúdos são ensinados à crianças. Segundo a especialista, não só no contexto escolar, mas no próprio ambiente acadêmico, existe um tabu em torno de carreiras técnico científicas, e uma crença de que essas são oportunidades para poucos.

Como motivos, ela cita a existência de pesquisas que comprovaram que pessoas acreditam que não são capazes de acompanhar esses cursos. “Nos Estados Unidos e na América Latina, há uma série de pessoas que optam por fazer outro curso na faculdade que acham que tem mais a ver com suas capacidades, porque realmente acreditam que não conseguirão fazer um curso técnico científico”, afirma. 

Um passo para mudar essa mentalidade é investir no ensino de ciências desde pequeno. E, para isso, não é preciso de muito: bastam materiais que toda casa tem. Essa é a proposta do mais de 50 vídeos no canal da TEC Educação no YouTube, que ensina experiências práticas para crianças e jovens a partir de materiais do dia a dia.

Continue Reading
Advertisement

Relógio

Grupo do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Portal Informa Paraíba

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias

TWITTER DO PORTAL INFORMA PARAÍBA

www.informaparaiba.com.br

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias.

Página do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Politíca10 horas ago

Romero Rodrigues contra-ataca: Enfrenta pressões de João Azevedo e Adriano Galdino com sua “Tropa de Choque”

CIDADE10 horas ago

TCE apura indícios de irregularidades em contrato de R$ 11,3 milhões da Prefeitura de Bayeux na área de saúde

ESTADO10 horas ago

Pollyanna Dutra destaca importância de novo Centro de Equoterapia inaugurado pelo Governo do Estado

Segurança Pública11 horas ago

Operação da PM com a PF descobre plantio de maconha no Cariri paraibano

CIDADE11 horas ago

Bá Barros e Manuella reúnem multidão em evento de pré-campanha e assusta oposição de Pedras de Fogo

Educação & Cultura22 horas ago

O ‘abuso narcisista’ ficou famoso. Mas o que isso significa? E como ele pode afetar sua vida?

Saúde22 horas ago

Erros ao fazer xixi que são prejudiciais à saúde pélvica

ENTRETENIMENTO22 horas ago

Orgasmo com penetração: como chegar lá? É preciso chegar lá?

Esporte22 horas ago

‘Pecco Bagnaia geriu os recursos e energia dele com absoluta mestria’ – Gigi Dall’Igna

Judiciário22 horas ago

Nova gestão da Abin segue sob suspeita de obstruir investigações, dizem PGR e STF

Educação & Cultura22 horas ago

Upcycle: o que é, para que serve e exemplos

Educação & Cultura22 horas ago

Saiba o que muda no ensino médio com novo texto aprovado no Congresso

Esporte22 horas ago

Flamengo acerta contrato de R$ 1,1 bilhão com titular de Tite

Internacional22 horas ago

Incerteza política na França pesa em economia já fragilizada por desordem fiscal

Esporte22 horas ago

Jasmine Paolini e Barbora Krejcikova farão a final feminina de Wimbledon

Saúde23 horas ago

Nossos óculos em breve serão equipados com um filtro discreto de visão noturna?

Internacional23 horas ago

Rússia promete “resposta militar” a bases de mísseis americanos na Alemanha

CIÊNCIA & TECNOLOGIA23 horas ago

Projeto que regulamenta atividade espacial no País vai à sanção presidencial

Esporte24 horas ago

Kawhi Leonard está fora dos Jogos Olímpicos; EUA definem substituto

Esporte24 horas ago

F1 estuda “caixa de brita colada” à Zandvoort como solução para impor limites de pista

CONCURSO E EMPREGO24 horas ago

Reforma tributária: veja quais profissionais liberais, da saúde e da educação pagarão menos imposto

Saúde1 dia ago

10 sinais que podem indicar alguma doença cardíaca

Saúde1 dia ago

Saiba como cuidar da região intima após as relações sexuais

Esporte1 dia ago

De novo? Antes de polêmica sobre término com Gabi, Sheilla Castro viveu relação conturbada com outra atleta. Recorde!

Politíca1 dia ago

Queiroga Comemora ‘Liderança’ no Segundo Lugar em Pesquisa Eleitoral de João Pessoa

Educação & Cultura1 dia ago

Governo da Paraíba promove mais um curso profissionalizante para socioeducandos

Esporte2 dias ago

Rival de Poatan no kickboxing, Vakhitov responde brasileiro e reafirma desejo de trilogia no UFC

Esporte2 dias ago

F1: Hamilton e seu pai comentam a vitória “em casa” no GP da Inglaterra

Esporte2 dias ago

Destaques nas estatísticas do Pato Basquete na última temporada, Nate Barnes e Gabriel Novaes renovaram com o time paranaense para o NBB CAIXA 2024/25

Esporte2 dias ago

Após polêmicas, Sheilla Castro deixa os treinos com a seleção em Saquarema

Internacional12 meses ago

Cidade alemã passa a distribuir gratuitamente filtro solar

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 meses ago

Com produtor revisando tamanho da safra, 2024 inicia cercado de incertezas para a soja

Internacional6 meses ago

Secretário-geral da ONU condena atos criminosos no Equador

ENTRETENIMENTO12 meses ago

JIBÓIA

ENTRETENIMENTO9 meses ago

Conheça Rocco, um cão mistura de rottweiler com husky siberiano: ‘Parece o Batman’

CONCURSO E EMPREGO6 meses ago

Carreiras em Extinção? Veja Quais Podem Sumir

Nacional11 meses ago

CNS reconhece religiões afro como complementares ao SUS

ECONOMIA6 meses ago

Calendário do Bolsa Família 2024: saiba quando você vai receber

Internacional6 meses ago

Fome já é generalizada em Gaza, alerta ONU

CIDADE6 meses ago

Polêmica em Princesa Isabel: Vereadores aprovam aumento salarial próprio e do Executivo

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 meses ago

Número de IGs cresceu 60% em quatro anos no Brasil

Saúde6 meses ago

OS PRINCIPAIS LEGUMES E VERDURAS QUE AJUDAM A PREVENIR DOENÇAS CRÔNICAS

Internacional6 meses ago

Israel quer controlar e fechar fronteira entre Gaza e Egito

Judiciário10 meses ago

Informativo destaca não exigência de provas para fixação de indenização mínima por danos morais

Judiciário9 meses ago

Entender Direito: especialistas discutem os embargos de divergência

Educação & Cultura6 meses ago

Campina Grande entra na disputa e poderá ser escolhida para receber nova Escola de Sargentos do Exército após impasse em Pernambuco

ENTRETENIMENTO6 meses ago

HORTÊNSIAS

Internacional6 meses ago

“Perdas, dor e angústia” após ataques aéreos marcam o início do ano na Ucrânia

CIÊNCIA & TECNOLOGIA6 meses ago

Vale a pena usar um gerador de conteúdo para redes sociais?

Nacional6 meses ago

TCU pede que ministra da Saúde pague R$ 11 milhões a cofres públicos

ENTRETENIMENTO6 meses ago

PASSEIO MOSTRA COMO É UM BORBOLETÁRIO

Judiciário2 meses ago

Juízes comemoram inclusão do Judiciário entre atividades de risco

ENTRETENIMENTO4 meses ago

1º Cabedelo MotoFest: prepare-se para uma explosão de emoções na praia do Jacaré!

CIÊNCIA & TECNOLOGIA11 meses ago

Como sair do grupo de WhatsApp anonimamente e ninguém ver

ESTADO7 meses ago

Energisa reúne empresas de telecomunicações para tratar sobre segurança na disposição de cabos em postes 

Internacional4 meses ago

China

Nacional10 meses ago

EXCLUSIVO – Leia na íntegra o pronunciamento de 7 de setembro de Lula

ENTRETENIMENTO12 meses ago

Assistam ao filme “Tropa de elite 2 – O inimigo agora é outro” e reflitam

CIÊNCIA & TECNOLOGIA12 meses ago

SÍLVIO MEIRA FALA SOBRE A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

CONCURSO E EMPREGO9 meses ago

Concurso da PMPB pode ser suspenso? Jurista avalia

AGRICULTURA & PECUÁRIA5 dias ago

QUEIJO AZUL, FEITO COM LEITE DE OVELHA, GANHA SELO ARTESANAL

Nacional5 dias ago

DESMATAMENTO CAI NA AMAZÔNIA, MAS CRESCE NO CERRADO

CONCURSO E EMPREGO5 dias ago

EMPRESA PREVÊ MULHERES EM 50% DOS CARGOS DE GESTÃO

ECONOMIA1 semana ago

PIX TERÁ OPÇÃO DE PAGAMENTO POR APROXIMAÇÃO

Internacional1 semana ago

O IMPACTO DA TROCA NO PODER DO REINO UNIDO APÓS 14 ANOS

Educação & Cultura1 semana ago

ENEM DOS CONCURSOS: NOVO EDITAL É DIVULGADO COM POLÍTICA DE REEMBOLSO

AGRICULTURA & PECUÁRIA1 semana ago

GOVERNO FEDERAL ANUNCIA PLANO SAFRA 2024/2025

Nacional1 semana ago

SECA NO PANTANAL PODE CHEGAR A PONTO DE NÃO RETORNO

Saúde2 semanas ago

ESTUDO COMPROVA EFICÁCIA DE MEDICAMENTO CONTRA O CÂNCER DE PULMÃO

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

RECEITA DO BOLO TENTAÇÃO

CIÊNCIA & TECNOLOGIA2 semanas ago

RELIGIÃO E CIÊNCIA

ECONOMIA2 semanas ago

BC MUDA MECANISMO DE RESSARCIMENTO A VÍTIMAS DE FRAUDES

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

MANACÁ-DA-SERRA COMO CULTIVAR

Saúde2 semanas ago

BRASILEIRA DESCOBRE AÇÃO DE PROTEÍNA EM CASOS GRAVES DE COVID

ECONOMIA2 semanas ago

COMO IRÁ FUNCIONAR A NOVA META DE INFLAÇÃO DO BRASIL

CONCURSO E EMPREGO2 semanas ago

ENVELHECIMENTO MUDA DEMANDAS E VAGAS NO MERCADO DE TRABALHO

Internacional2 semanas ago

BOLÍVIA EM TENSÃO: ENTENDA EM 4 PONTOS A CRISE POLÍTICA NO PAÍS VIZINHO

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

SAVANNAH: O HÍBRIDO SELVAGEM DE GATO COM SERVAL

Educação & Cultura2 semanas ago

FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

CONCURSO E EMPREGO2 semanas ago

BRASIL TEM MAIS DE 2 MILHÕES DE VAGAS EM CARGOS TÉCNICOS SOBRANDO

Nacional2 semanas ago

COMO MILHARES DE FAMÍLIAS GAÚCHAS FICARAM MAIS POBRES DO DIA PARA A NOITE

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

ESTROGONOFE DE TILÁPIA FEITO NO FORNO VAI TE SURPREENDER

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

TRÊS DICAS PRA CUIDAR BEM DAS ORQUÍDEAS

Politíca3 semanas ago

“RESULTADOS PODEM NÃO AGRADAR, MAS ELEIÇÕES LIVRES SÃO A FORÇA DA DEMOCRACIA”

Educação & Cultura3 semanas ago

PISA: O BRASIL NO RANKING INTERNACIONAL

ENTRETENIMENTO3 semanas ago

CHICO BUARQUE: 80 ANOS DE CRIATIVIDADE

CIÊNCIA & TECNOLOGIA3 semanas ago

COMO NVIDIA VIROU A EMPRESA MAIS VALIOSA DO MUNDO?

AGRICULTURA & PECUÁRIA3 semanas ago

TECNOLOGIA AJUDA NO MANEJO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS

Saúde3 semanas ago

ESPECIALISTAS CRITICAM A MUDANÇA NA LEI DO ABORTO

ENTRETENIMENTO3 semanas ago

TURISMO RURAL EM ROTA

Advertisement
Advertisement

Vejam também

Somos o Portal Informa Paraíba, uma empresa de marketing e portal de informações que oferece um noticioso com assuntos diversos. Nosso objetivo é fornecer conteúdo relevante e atualizado para nossos leitores, mantendo-os informados sobre os acontecimentos mais importantes. Nossa equipe é composta por profissionais experientes e apaixonados por comunicação, que trabalham incansavelmente para oferecer um serviço de qualidade. Além disso, estamos sempre em busca de novas formas de melhorar e inovar, para podermos atender às necessidades e expectativas de nossos clientes. Seja bem-vindo ao nosso mundo de informações e descubra tudo o que o Portal Informa Paraíba tem a oferecer. Fiquem bem informados acessando o Portal Informa Paraíba: www.informaparaiba.com.br