Connect with us

Educação & Cultura

Com ciências em alta, o que professores podem fazer para diversificar suas aulas?

Com assuntos científicos diariamente no noticiário, é a vez de professores começarem a desmistificar a aprendizagem, seja em casa ou na escola, e investirem em atividades práticas

Atualmente, 136 vacinas estão em estudo no mundo todo, unidas em um único objetivo: conter o novo coronavírus (COVID-19). Desde o início da pandemia no Brasil, as manchetes de jornais carregam diariamente expressões como EPIs (Equipamento de Proteção Individual), vacina, medicamentos com ou sem comprovação científica, sequenciamento do genoma viral em tempo recorde por equipe brasileira e assim por diante.

O que todos esses assuntos têm em comum? A valorização da ciência a passos largos, assunto abordado em pesquisas e eventos. Em julho, a Conferência Ethos, realizada pela primeira vez de forma online, reuniu um time de infectologistas, pesquisadores e professores da Universidade Federal de Goiás e da USP (Universidade de São Paulo) para questionar ‘Sairemos da pandemia com uma ciência reforçada?’. Já a pesquisa “Juventudes e a Pandemia do Coronavírus” indicou que 5 a cada 10 jovens consideram que a pandemia pode trazer mais prestígio, reconhecimento e investimentos para a ciência e pesquisa e para a saúde pública.

Julia Moura, fundadora da TEC Educação e autora de 35 livros didáticos sobre como trabalhar ciências e tecnologia de maneira democrática em sala de aula, afirma que a pandemia apresentou uma abertura para que haja um diálogo nas residências brasileiras sobre a importância das ciências. “Eu já trabalho com ciências, então, para mim, EPI não era uma palavra nova. Mas nunca ouvi falar tanto nisso como estou ouvindo agora. Acho que nunca se falou tanto sobre ciência como nesse momento. Como se trata de fenômeno que envolve o mundo todo, começamos a enxergar que isso faz parte do nosso dia a dia, e assim surge a brecha para falarmos sobre o assunto”, explica.

Mais prática é igual a mais envolvimento
Para a especialista, além de aproveitar que assuntos científicos estão sendo amplamente abordados na mídia, usar o contexto atual também pode ser uma forma de diversificar o tipo de conteúdo a qual crianças e adolescentes têm acesso durante as aulas à distância.

Incentivar o engajamento e estimular o interesse por disciplinas e conteúdos que envolvam as ciências deve ser feito, segundo Julia, a partir de atividades práticas e mão na massa, nas quais os conceitos teóricos são explicados de maneira simples. Isso faz sentido: basta fazer um exercício de relembrar os tempos de escola. O que era mais legal: uma aula no laboratório ou uma aula expositiva na sala de aula?

“O método científico pressupõe que você analise o ambiente, formule e teste hipóteses. Essa parte do teste é muito rica para conseguir o engajamento da criança ou do jovem, porque estamos muito acostumados a aulas 100% expositivas, o que, em um contexto de aula remota, é mais difícil ainda de engajar”, defende.

Além disso, propor que estudantes se dediquem a atividades mais práticas possibilita um descanso das telas, amplamente usadas no momento para suprir a falta do contato presencial. “O olho começa a ficar seco e a mente a ficar dispersa. Pensar que crianças têm seis horas de aula todos os dias em frente a uma tela é quase uma jornada de trabalho.” Dessa forma, é algo como unir o útil ao agradável: aproveitar o assunto em alta, dinamizar as aulas, engajar os estudantes, propor atividades práticas que deem um descanso para o corpo e a mente e, junto a tudo isso, incentivar o aprendizado de ciências de forma mais descontraída. Para Julia, esse é o único caminho.

“O mais interessante é que só aprendemos ciências na prática. Nunca trabalhei ensino de ciências sem que as crianças construíssem suas próprias experiência. Todos os estudos e divulgações científicas são sempre feitos usando experimentos, e isso é muito legal porque você está aprendendo na prática. E, vale ressaltar: os maiores aprendizados são aqueles que aprendemos por nós mesmos. Então, se o aluno pode realizar um trabalho manual, é uma oportunidade bastante interessante. Se juntar a isso o ensino de ciências, fica melhor ainda.”

O que pode ser feito na prática?
Não é porque as aulas ainda estão sendo realizadas à distância e crianças e jovens não têm acesso ao laboratório de ciências da escola que não é possível propor atividades práticas. “Eu sempre faço uma pegadinha nas minhas palestras ao perguntar quem já teve acesso a um laboratório científico de alto rendimento. Quando ninguém levanta a mão, eu mostro a foto de uma cozinha, porque essa é a verdade: até hoje, muitos experimentos são realizados na cozinha de casa.”

Dessa forma, professores não precisam pensar em atividades mirabolantes para propor. Para estudar suspensão coloidal, exemplifica Julia, e conceitos como moléculas e fluido não-newtoniano, ela sugere algo simples, que todas as casas têm: água e Maizena (amido de milho). “Ao invés de só explicar os componentes da biologia e trabalhar uma fórmula de física, você pode propor que os alunos façam a mistura e manipulem. Quando eles colocam força e velocidade, a mistura fica dura. Quando mexem devagarinho, fica mole. Quando você trabalha usando seus sentidos e realmente transfere aquilo para uma experiência, fica muito mais fácil de aprender.”

Outra ideia é usar a linguagem dos próprios jovens e propor, por exemplo, que façam uma apresentação de determinado conteúdo usando um vídeo do TikTok. Indicar vídeos e filmes – ou até a produção de um vídeo, assim como de um seminário curto – são outras dicas. Para Julia, o importante é ter em mente a estreita relação entre o ensino de ciências e tecnologia e a experimentação.

Ciência é só no laboratório?
Outro exercício interessante é pensar que a atividade com maizena citada por Julia, por exemplo, não precisaria ser realizada, no caso do ensino presencial, no laboratório de ciências da escola; bastariam alguns potes em sala de aula e os alunos divididos em grupo. Esse seria um caminho simples e rápido para propor mudanças, mesmo que simples, na forma de ensinar ciências presencialmente. Entretanto, é igualmente fácil imaginar que seriam poucos os professores dispostos a realizar essa ‘bagunça momentânea’ em prol de uma atividade mão na massa.

Por isso, Julia reforça que a ciência geralmente não trabalha na ordem, mas sim acontece no caos. “Veja o que estamos vivendo agora. A vacina para o coronavírus é apenas a ponta do iceberg, teremos muitos outros avanços na ciência, que é usada para resolver problemas. Nesse sentido, acredito na importância da desconstrução dos padrões e do local onde a ciência é realizada, porque em um momento de necessidade, as pessoas simplesmente começam a fazer como e onde é possível.”

Isso explica o surgimento de diversos grupos de pessoas e iniciativas de produção de respiradores alternativos, EPIs e outros materiais para ajudar no combate à pandemia. Segundo a especialista, adultos e jovens que tiveram acesso a impressoras 3D, por exemplo, e decidiram imprimir componentes de escudos faciais são exemplos dos chamados cientistas cidadãos, pessoas que atuam para melhorar a sociedade desenvolvendo experiências e contribuindo da forma que podem, usando materiais aos quais têm acesso. “Esse movimento contribui para desconstruir algumas coisas, como a figura do laboratório e a ideia de que apenas os mais inteligentes podem fazer ciência. Isso não é verdade.”

A importância de democratizar o ensino de ciências
Com praticamente a vida toda dedicada ao tema, Julia defende a democratização do ensino de ciências e tecnologia e, para isso, afirma que é preciso iniciar um processo de repensar como esses conteúdos são ensinados à crianças. Segundo a especialista, não só no contexto escolar, mas no próprio ambiente acadêmico, existe um tabu em torno de carreiras técnico científicas, e uma crença de que essas são oportunidades para poucos.

Como motivos, ela cita a existência de pesquisas que comprovaram que pessoas acreditam que não são capazes de acompanhar esses cursos. “Nos Estados Unidos e na América Latina, há uma série de pessoas que optam por fazer outro curso na faculdade que acham que tem mais a ver com suas capacidades, porque realmente acreditam que não conseguirão fazer um curso técnico científico”, afirma. 

Um passo para mudar essa mentalidade é investir no ensino de ciências desde pequeno. E, para isso, não é preciso de muito: bastam materiais que toda casa tem. Essa é a proposta do mais de 50 vídeos no canal da TEC Educação no YouTube, que ensina experiências práticas para crianças e jovens a partir de materiais do dia a dia.

Continue Reading
Advertisement

Relógio

Grupo do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Portal Informa Paraíba

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias

TWITTER DO PORTAL INFORMA PARAÍBA

www.informaparaiba.com.br

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias.

Página do Portal Informa Paraíba (Facebook)

ECONOMIA2 horas ago

Nota técnica da Consultoria da Câmara questiona projeções do governo sobre as contas públicas na LDO de 2025

Segurança Pública2 horas ago

Comissão aumenta pena para estelionato praticado contra mulher

Segurança Pública2 horas ago

Comissão aprova projeto que permite prender agressor de mulher em flagrante após registro da ocorrência

Segurança Pública2 horas ago

Comissão aprova projeto que disciplina atuação coercitiva de agente socioeducativo

CIDADE6 horas ago

IBGE destaca ações junto aos municípios em Reunião Geral da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP)

Segurança Pública6 horas ago

Defesa Civil Estadual realiza inspeção em municípios atingidos pelas chuvas

Internacional6 horas ago

Agora: Israel realiza ofensiva contra o Irã, informa emissora americana ABC

CIÊNCIA & TECNOLOGIA6 horas ago

Novo Adobe Express mobile traz IA generativa para democratizar a criatividade

CIÊNCIA & TECNOLOGIA6 horas ago

WhatsApp: novo recurso vai dedurar usuários que estiveram online

CIÊNCIA & TECNOLOGIA6 horas ago

Veja 8 dicas para tornar o Microsoft Outlook um pouco menos complicado de usar

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 horas ago

Arroba do boi gordo volta a subir; veja preços e cotações

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 horas ago

Comissão da Câmara aprova auxílio-internet para agricultores

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 horas ago

Citricultores enfrentam ataque de mosca-das-frutas

AGRICULTURA & PECUÁRIA6 horas ago

Cotação do café arábica finaliza a sessão desta 5ª feira com baixas na Bolsa de NY

Esporte7 horas ago

Treze repatria jogador que conquistou o acesso pelo clube em 2018

Esporte7 horas ago

Tsarukyan revela que juiz responsável por marcar vitória de Do Bronx se desculpou por equívoco

Esporte7 horas ago

Mateo Ponte marca e Botafogo vence a primeira no Brasileiro

Nacional7 horas ago

Elon Musk Acusa Alexandre De Moraes De Interferir Nas Eleições Brasileiras

Nacional7 horas ago

‘Pacheco é o presidente mais covarde da história do Congresso’, diz presidente do Novo

Nacional7 horas ago

Dallagnol: “Congresso dos EUA revelam padrão apavorante”

Nacional7 horas ago

Após jantar com ministros, Lula inicia peregrinação de articulações para defender o STF

Esporte7 horas ago

COB anuncia primeiros atletas do programa Vivência Olímpica

ESTADO7 horas ago

Paraíba recebe Menção Honrosa no prêmio Arara Azul por trabalho de promoção do turismo 

ESTADO7 horas ago

João Azevêdo prestigia evento do Sebrae que premiou práticas empreendedoras de municípios paraibanos

Educação & Cultura7 horas ago

Projeto Limite do Visível tem inscrições abertas com 400 vagas para o segundo semestre

Judiciário7 horas ago

Comissão de juristas entrega proposta de revisão do Código Civil ao Senado

AGRICULTURA & PECUÁRIA8 horas ago

Empaer realiza vacinação dos rebanhos das estações experimentais contra febre aftosa

Judiciário8 horas ago

Promotoria vai realizar audiência sobre situação das aulas em escola de Boa Vista

Judiciário8 horas ago

MPPB recomenda medidas para eventos festivos em cinco municípios

AGRICULTURA & PECUÁRIA8 horas ago

Governo da Paraíba destina mais de R$ 8 milhões para pagamento do Garantia-Safra a agricultores de 135 municípios

Internacional9 meses ago

Cidade alemã passa a distribuir gratuitamente filtro solar

Internacional10 meses ago

IMPRESSIONANTE – GOVERNO CANADENSE ADMITE: “Os não vacinados estavam certos sobre as vacinas de mRNA”

Judiciário11 meses ago

Escravizados

ENTRETENIMENTO9 meses ago

JIBÓIA

ENTRETENIMENTO10 meses ago

Exorcista: filme “Nefarious” é “o melhor já produzido” sobre possessão demoníaca

Nacional8 meses ago

CNS reconhece religiões afro como complementares ao SUS

AGRICULTURA & PECUÁRIA3 meses ago

Com produtor revisando tamanho da safra, 2024 inicia cercado de incertezas para a soja

ENTRETENIMENTO7 meses ago

Conheça Rocco, um cão mistura de rottweiler com husky siberiano: ‘Parece o Batman’

Internacional3 meses ago

Secretário-geral da ONU condena atos criminosos no Equador

CONCURSO E EMPREGO4 meses ago

Carreiras em Extinção? Veja Quais Podem Sumir

ECONOMIA4 meses ago

Calendário do Bolsa Família 2024: saiba quando você vai receber

CIDADE12 meses ago

Sapé: ex-candidato a prefeito Luizinho, vice e coligação são condenados a pagar R$ 300 mil por infringir norma eleitoral e sanitária

Internacional4 meses ago

Fome já é generalizada em Gaza, alerta ONU

Nacional11 meses ago

Bomba: Alexandre de Moraes monitorava todos os passos de funcionários do gabinete de Bolsonaro e da primeira-dama desde 2021, diz Folha

AGRICULTURA & PECUÁRIA4 meses ago

Número de IGs cresceu 60% em quatro anos no Brasil

CIDADE4 meses ago

Polêmica em Princesa Isabel: Vereadores aprovam aumento salarial próprio e do Executivo

Judiciário8 meses ago

Informativo destaca não exigência de provas para fixação de indenização mínima por danos morais

Nacional11 meses ago

Lira manda novo recado ao governo Lula: “grande resistência entre os parlamentares”

Judiciário7 meses ago

Entender Direito: especialistas discutem os embargos de divergência

Saúde4 meses ago

OS PRINCIPAIS LEGUMES E VERDURAS QUE AJUDAM A PREVENIR DOENÇAS CRÔNICAS

Internacional4 meses ago

Israel quer controlar e fechar fronteira entre Gaza e Egito

ENTRETENIMENTO4 meses ago

HORTÊNSIAS

Educação & Cultura4 meses ago

Campina Grande entra na disputa e poderá ser escolhida para receber nova Escola de Sargentos do Exército após impasse em Pernambuco

Segurança Pública11 meses ago

Conheça as 6 piores prisões do mundo

Nacional10 meses ago

Relator lê parecer sobre indicação de Cristiano Zanin ao STF; sabatina está marcada para 21 de junho

Internacional4 meses ago

“Perdas, dor e angústia” após ataques aéreos marcam o início do ano na Ucrânia

Educação & Cultura10 meses ago

Novo ensino médio precisa levar em conta realidade de alunos e municípios, aponta debate

Nacional11 meses ago

Repórter da TV Globo é agredida por segurança de Maduro após questionamento

CIÊNCIA & TECNOLOGIA4 meses ago

Vale a pena usar um gerador de conteúdo para redes sociais?

Nacional11 meses ago

URGENTE: Receita diz que joias sauditas dadas a Bolsonaro são isentas de cobrança de imposto 

Educação & Cultura10 horas ago

CURSOS PRIVADOS SÃO INFERIORES À EDUCAÇÃO PÚBLICA, APONTA MEC

CIÊNCIA & TECNOLOGIA10 horas ago

CIENTISTAS ESTUDAM PESSOAS CENTENÁRIAS EM BUSCA DO SEGREDO DA LONGEVIDADE

Internacional10 horas ago

EMBRANQUECIMENTO DAS BARREIRAS DE CORAL CAUSAM MORTALIDADE DE VIDA MARINHA

ENTRETENIMENTO10 horas ago

BASENJI: O MISTERIOSO CÃO AFRICANO COM 4000 ANOS DE HISTÓRIA

Educação & Cultura10 horas ago

BALSEIROS DO RIO URUGUAI – 2006

Educação & Cultura4 dias ago

REI DOS VESTIBULARES: ADOLESCENTE DE 15 ANOS É APROVADO EM 18 UNIVERSIDADES

ENTRETENIMENTO4 dias ago

JUMENTO NORDESTINO: A VERDADE SOBRE O HERÓI DO SERTÃO

Internacional4 dias ago

COINCIDÊNCIAS, O INEXPLICÁVEL

Politíca4 dias ago

200 ANOS DO SENADO

CIDADE4 dias ago

ESTUDO DA UFAL REVELA EXPANSÃO DAS ÁREAS ÁRIDAS NO NORDESTE BRASILEIRO

Segurança Pública5 dias ago

COMO ANALISAR E EVITAR GOLPES DO PIX

Saúde5 dias ago

UMA SEGUNDA INFECÇÃO POR DENGUE PODE SER PIOR DO QUE A PRIMEIRA?

ECONOMIA5 dias ago

IMPOSTO DE RENDA: RECEITA FEDERAL AUMENTA LIMITE DE ISENÇÃO DE IMÓVEIS

Internacional1 semana ago

O PIOR LUGAR DO MUNDO PARA SER MULHER?

Saúde1 semana ago

CIÊNCIA PODE ESTAR PERTO DE DESCOBRIR ORIGEM DE TRANSTORNOS ALIMENTARES

Saúde1 semana ago

POR QUE O BRASIL TEM RECORDE DE CASOS DE DENGUE?

Nacional1 semana ago

SOTAQUE CARIOCA: POR QUE SE FALA CHIADO NO RJ?

Saúde1 semana ago

O QUE O CAFÉ FAZ REALMENTE COM O SEU CORPO

ENTRETENIMENTO1 semana ago

RECEITA DA COCADA DE MARACUJÁ

Saúde1 semana ago

IBGE APONTA QUE 60% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA ADULTA ESTÁ ACIMA DO PESO

Saúde1 semana ago

OZEMPIC: INJEÇÕES PARA DIABETES AGORA COMO REMÉDIO PARA EMAGRECIMENTO

Internacional1 semana ago

EMPRESA DO REINO UNIDO LANÇA ‘ESCUDO’ QUE DEIXA QUALQUER PESSOA INVISÍVEL

AGRICULTURA & PECUÁRIA1 semana ago

MARÇO DE 2024 FOI O MÊS MAIS QUENTE DA HISTÓRIA

ENTRETENIMENTO1 semana ago

BRASILEIRO CASAM MENOS E FICAM MENOS TEMPO JUNTOS

ENTRETENIMENTO1 semana ago

SEXTO SENTIDO, UM PODER OCULTO?

Saúde1 semana ago

METAIS TÓXICOS EM BEBÊS

Nacional1 semana ago

PREOCUPAÇÃO COM O USO DA IA NAS CAMPANHAS POLÍTICAS VOLTA À TONA

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 semana ago

A CORRIDA PELO CAMINHÃO DO FUTURO

CIÊNCIA & TECNOLOGIA2 semanas ago

TV 3.0: COMO SERÁ A TELEVISÃO DO FUTURO NO PAÍS

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

CRIAÇÃO DE VIEIRAS: A JOIA DO MAR EM CULTIVO SUSTENTÁVEL

Advertisement
Advertisement

Vejam também

Somos o Portal Informa Paraíba, uma empresa de marketing e portal de informações que oferece um noticioso com assuntos diversos. Nosso objetivo é fornecer conteúdo relevante e atualizado para nossos leitores, mantendo-os informados sobre os acontecimentos mais importantes. Nossa equipe é composta por profissionais experientes e apaixonados por comunicação, que trabalham incansavelmente para oferecer um serviço de qualidade. Além disso, estamos sempre em busca de novas formas de melhorar e inovar, para podermos atender às necessidades e expectativas de nossos clientes. Seja bem-vindo ao nosso mundo de informações e descubra tudo o que o Portal Informa Paraíba tem a oferecer. Fiquem bem informados acessando o Portal Informa Paraíba: www.informaparaiba.com.br