Connect with us

ECONOMIA

Governo quer imitar grandes potências com política industrial, mas não fez lição de casa

O presidente Lula, o vice Geraldo Alckmin e o presidente do BNDES Aloízio Mercadante: incentivos com proteção à indústria

O governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem investido em um programa de “neoindustrialização” do país sob o argumento de que as grandes economias do mundo estão retomando esforços em política industrial.

Além do presidente Lula, seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), e o presidente do BNDES, Aloízio Mercadante, citaram, em defesa do recém-lançado programa Nova Indústria Brasil (NIB), exemplos de potências mundiais que têm incentivado setores específicos via créditos subsidiados, reafirmando a crença no Estado indutor do desenvolvimento.

O programa, que vai destinar R$ 300 bilhões – a maioria via BNDES – para tirar a indústria nacional da estagnação, recebeu críticas por estar repetindo políticas já testadas e que não deram certo. No lançamento, o presidente do banco de fomento rebateu as críticas e comparou a iniciativa a políticas implementadas por China e Estados Unidos.

“Quero perguntar a esses que todos os dias escrevem dizendo que estamos trazendo medidas antigas: me expliquem a China. Por que a China é o país que mais cresceu no mundo durante 40 anos? Me expliquem a política econômica americana: subsídio, incentivo, investimento público, atraindo empresas, inclusive, brasileiras, que estão indo para lá por esses subsídios, que recebem na frente, em dinheiro do Tesouro”, enfatizou Mercadante.

A pergunta em relação à China recebeu respostas de economistas liberais nas redes sociais, desmistificando a comparação. O argumento é que o petista não considerou que um dos principais motores do desenvolvimento chinês foi exatamente a abertura ao comércio exterior, pelo líder Deng Xiaoping, a partir do fim dos anos 1970. A medida encerrou o isolamento vigente desde a adoção do regime comunista de Mao Tse-Tung e, ao lado de reformas econômicas e foco em tecnologia, impulsionou o crescimento do país.

“A China cresceu quando abandonou o dirigismo estatal e o forte viés intervencionista e passou a liberar os mercados. Isso se intensificou nos anos 1990 e 2000, quando o capital privado internacional, ao lado do público, também passou a financiar o desenvolvimento da China que se abria para o mundo”, explicou o economista Fernando Ulrich, da Liberta Investimentos, em seu canal no YouTube.

Comparação com EUA é falaciosa

A comparação com os incentivos que vem sendo dados a setores de tecnologia nos EUA é, no mínimo, inadequada, segundo economistas ouvidos pela Gazeta do Povo. A tese não leva em conta as realidades fiscais e tributárias, o ambiente de negócios dos países e, sobretudo, os níveis de qualificação e produtividade das empresas.

“Tem uma falta de entendimento muito grande neste tema. De fato, esses países têm direcionado crédito para determinados setores, mas são recursos para indústrias muito competitivas globalmente. E elas se tornaram competitivas por um conjunto de outros fatores macroeconômicos mais relevantes, entre eles o enorme avanço na educação, que se refletiu numa mão de obra muito qualificada”, diz o economista Aod Cunha, do Instituto Millenium.

“Esses países já fizeram o dever de casa, têm outro ambiente de negócios, alto índice de poupança interna e condições favoráveis para poder eleger alguns setores e fazer inovação”, prossegue.

Cláudio Considera, coordenador do Núcleo de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), classifica de falaciosa a comparação feita por integrantes do governo.

“Primeiro, não há políticas institucionalizadas nestes países. Mas, principalmente, em nenhuma delas há exigência de conteúdo local, que promove a ineficiência das empresas pela falta de competição com o mercado externo”, afirma o economista, lembrando que o programa do governo Lula prevê prioridade de compras nacionais nas compras governamentais e projetos de infraestrutura, mesmo que a preços mais altos, como forma de impulsionar a indústria.

Para Ulrich, apesar de ter adotado recentemente políticas de incentivos a determinados setores, os EUA têm um ambiente institucional que vai continuar atraindo investimentos do mundo inteiro. “O país cresceu, enriqueceu e se consolidou como maior economia do mundo graças a fatores estruturais e de liberdade econômica. Vai continuar crescendo apesar das políticas intervencionistas e não por causa delas”, afirma.

Cesar Mattos, professor da Universidade de Brasília (UnB) e Fundação Getúlio Vargas (FGV-DF), destaca que o governo tem usado, erroneamente, um relatório do FMI para validar a onda de novas políticas industrias no mundo. “Os mecanismos de compras públicas, margem de preferência e conteúdo local são importantes indutores do desenvolvimento industrial e são largamente utilizados em todo o mundo, em todas as políticas industriais. Um relatório recente (publicado agora em janeiro de 2024) do FMI mostra justamente isso: a volta das políticas industriais com fortes incentivos dos países, entre eles o mecanismo de compras públicas”, afirma o governo numa lista de “Fatos e Fakes” publicadas no site oficial.

Segundo Mattos, é exatamente o contrário. “O relatório admite a onda de novas políticas industriais no mundo todo. Mas além das consequências negativas para o próprio país que adota as novas políticas industriais, o FMI alerta para os transbordamentos negativos para outros países e todo o sistema de comércio internacional baseado na Organização Mundial do Comércio (OMC). Nesse contexto, aponta que as regras atuais de defesa contra o protecionismo no mundo precisarão se atualizar para evitar os impactos ruins sobre o bem-estar global. Definitivamente, buscar este texto do FMI para apoiar a NIB é uma fake news”, afirma.

Política industrial divide economistas

O debate sobre a necessidade de adoção de algum tipo de política industrial é tema recorrente, sobretudo quando se quer impulsionar rapidamente o crescimento. É o que o governo Lula pretende, atento às projeções de mercado que apontam para uma desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano.

Os economistas se dividem entre os que defendem o uso de políticas horizontais, ou seja, para toda a indústria, e aqueles que pregam iniciativas voltadas a segmentos específicos. Normalmente, economistas dirigistas tendem a eleger áreas ditas estratégicas, enquanto a ótica liberal defende que os estímulos, quando houver, devem ser lineares.

No Brasil, foram inúmeras as vezes em que se tentou direcionar a produção industrial, aumentando a participação de setores supostamente geradores de maior crescimento econômico. Por muito tempo, principalmente entre as décadas de 1950 e 1980, o esforço ficou reduzido à imposição de tarifas protecionistas, como imposto de importação, índices de nacionalização de produtos e preferência nas compras governamentais, além de subsídios e políticas cambiais para promover exportações.

Cunha compara as iniciativas. “[A NIB] é uma ideia de crescimento parecida com a do final da década de 1970 com o segundo PND [Plano Nacional de Desenvolvimento, desenvolvido na ditadura militar, com foco em substituição de importações e aumento de exportações de bens de capital]. Esse negócio visivelmente não funcionou. O Brasil teve uma enorme crise de endividamento”, ressalta.

Após os anos 1980, que ficaram conhecidos como “década perdida” pelo baixo crescimento, houve tentativas pontuais que também se mostraram desastradas. Um dos exemplos foi a lei de informática, que buscava proteger a indústria nacional nascente mas acabou atrasando as inovações. “Ficamos com uma indústria nacional que foi sucateada durante muito tempo e depois fomos dar conta disso”, afirma Cunha.

A abertura comercial promovida de maneira abrupta pelo governo Fernando Collor de Mello, nos anos 1990, não foi suficiente para promover a competitividade da indústria. A partir dos anos 2000, iniciativas envolvendo crédito subsidiado se repetiram sem nenhuma geração de desenvolvimento sustentável da indústria nacional.

Pelo contrário, a fórmula repetida seguidas vezes resultou em desarranjo fiscal, inflação e aumento da taxa de juros. “O exemplo mais recente foi a política de campeões nacionais, no governo Dilma Rousseff (PT) que contribuiu para a recessão de 2016, a maior em décadas”, diz o economista do Millenium.

Desenvolvimento da indústria exige competitividade

O governo tem defendido que a Nova Política Brasil será horizontal, ou seja, para todos os setores interessados, e que os recursos não serão virão do Orçamento do Tesouro, preservando o aspecto fiscal. Mesmo assim, os economistas consideram seu princípio essencial de direcionamento de crédito via BNDES insuficiente para alavancar a indústria.

Para Cláudio Considera, as políticas que deram certo no país nunca prescindiram de inovação e planejamento. Ele cita os casos bem sucedidos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, um marco em desenvolvimento e tecnologia agrícola; da Embraer, empresa nacional que se tornou uma das maiores companhias de jatos comerciais do mundo; e da Petrobras, que hoje é líder mundial na exploração de petróleo em alta profundidade.

“Todos os projetos contaram com transferência para recursos para investimento em tecnologia e inovação, ligados a universidades e centros de pesquisa”, diz.

No entendimento de Cunha, os exemplos externos clássicos de industrialização, da Coreia do Sul e Japão, demonstram a necessidade de reformas estruturais, especialmente na educação e qualificação.

“Fala-se muito dos asiáticos também, mas a Coreia do Sul, por exemplo, promoveu uma revolução educacional. Investiu significativamente em qualidade de ensino básico e avançado, voltado à formação de mão de obra e competitividade da indústria”, diz.

“Se a gente quer ter empresas competitivas, precisa ter capital humano competitivo. A produtividade vai subir quando houver trabalhadores mais qualificados. E essa qualificação tem vir de baixo, tem que vir desde a educação básica”, avalia.

No Brasil, a maior parte dos recursos com educação é gasta com o ensino superior. Segundo dados do relatório Education at a Glance 2023, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o governo brasileiro investe US$ 14.735 anualmente por estudante universitário, praticamente o mesmo que a média do grupo, que é de US$ 14.839. Na educação básica, porém, o investimento brasileiro é de US$ 3.583 anuais por aluno, apenas um terço da média da OCDE (US$ 10.949). No quesito ensino básico, o Brasil é o terceiro pior no ranking de 50 países preparado pela organização.

“É um erro conceitual achar que a gente vai fazer reindustrialização ou expandir a participação da indústria por decisões de curto prazo do Estado, direcionando o crédito, e deixando de lado uma agenda que é conhecida e que explica o sucesso de outros países, que é aumentar a produtividade, melhorar o ambiente de negócios e que passam por uma série de reformas. Não é simplesmente o governo apontar lá o botão de crédito e dar mais dinheiro barato” afirma Aod Cunha. “Com este plano, o governo vai, no máximo, dar um fôlego adicional para a indústria e promover um voo de galinha.”

Continue Reading
Advertisement

Relógio

Grupo do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Portal Informa Paraíba

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias

TWITTER DO PORTAL INFORMA PARAÍBA

www.informaparaiba.com.br

Fiquem bem informados em um site que escreve notícias.

Página do Portal Informa Paraíba (Facebook)

Politíca24 minutos ago

BAYEUX: Uma vergonha o uso da Assembleia como moeda de troca de apoio político

Politíca1 hora ago

Governo atendeu solicitação da deputada Paula Francinete e incluiu Cajazeiras na rota dos eventos agropecuário do estado

Internacional2 horas ago

Aumento da tensão entre Europa e Rússia: países da OTAN consideram o envio de tropas, enquanto Putin adverte sobre a situação

ENTRETENIMENTO3 horas ago

Alteração no horário: Lançamento do 2º FestincineJP 

AGRICULTURA & PECUÁRIA5 horas ago

Esperança renovada: projeto de lei garante acompanhamento humanizado para pacientes com câncer de mama na Paraíba

Educação & Cultura5 horas ago

Energisa e SENAI abrem seleção para curso gratuito de Programação Web para PcD

Segurança Pública6 horas ago

Senado debate a extensão do direito de portar armas para profissionais de segurança

Internacional6 horas ago

Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU

Internacional6 horas ago

Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta

Internacional6 horas ago

Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental

Segurança Pública6 horas ago

Paraíba tem 73 cidades sem nenhum homicídio em 2023; Campina Grande e Santa Rita reduzem índices em 31% e 23%

ESTADO6 horas ago

Cedmex e NAF fecham para balanço nesta quinta-feira (29) e serviço ganha reforço no atendimento telefônico

Politíca15 horas ago

Léa Toscano deixa PSDB e afirma que vive um novo momento político

ESTADO15 horas ago

Governo da Paraíba lança Prêmio Paraíba Junina com R$ 2,4 milhões em investimentos

ESTADO15 horas ago

Governo da Paraíba convoca municípios para atualização do cadastro no Mapa do Turismo

Educação & Cultura15 horas ago

Cearte-PB reabre inscrições para cursos com vagas remanescentes

ECONOMIA15 horas ago

Números da Economia no Governo Lula

AGRICULTURA & PECUÁRIA16 horas ago

Centro de referência vai monitorar tecnologias para mitigar emissões da pecuária gaúcha

AGRICULTURA & PECUÁRIA16 horas ago

Açaí ganha o seu primeiro Zoneamento Agrícola de Risco Climático

AGRICULTURA & PECUÁRIA16 horas ago

Árvores no pasto melhoram ganho de peso, conforto térmico e reprodução dos animais

AGRICULTURA & PECUÁRIA16 horas ago

‘Governo precisa assumir que temos crise no agro’, diz Lupion

AGRICULTURA & PECUÁRIA16 horas ago

China derruba medida antidumping sobre carne de frango do Brasil

ECONOMIA16 horas ago

Quebra de safra pode gerar alta nos preços dos supermercados

CIDADE18 horas ago

Deputada de São Paulo: declara apoio a pré-candidatura de Jodson em Santa Rita

ECONOMIA19 horas ago

Governo não desiste de acabar com o saque-aniversário do FGTS e cogita medida provisória

Nacional19 horas ago

A Inabilidade de Lula em estabelecer diálogo com os líderes da América Latina gera impactos severos para os brasileiros

Nacional22 horas ago

A Polícia Federal mobilizou um grande efetivo para escutar o depoimento de Bolsonaro por se aproximar de uma baleia

Segurança Pública23 horas ago

Projeto prevê que qualquer pessoa pode ser considerada vítima do crime de violência psicológica

Segurança Pública23 horas ago

Projeto prevê até 5 anos de reclusão para quem incita animais contra pessoas

Segurança Pública23 horas ago

Projeto estabelece prioridades para repasse do fundo de segurança aos estados

Internacional7 meses ago

Cidade alemã passa a distribuir gratuitamente filtro solar

Internacional8 meses ago

IMPRESSIONANTE – GOVERNO CANADENSE ADMITE: “Os não vacinados estavam certos sobre as vacinas de mRNA”

Segurança Pública11 meses ago

IMAGEM FORTÍSSIMA: Vídeo mostra momento em que aluno mata professora a facadas

Judiciário9 meses ago

Escravizados

ENTRETENIMENTO8 meses ago

Exorcista: filme “Nefarious” é “o melhor já produzido” sobre possessão demoníaca

ENTRETENIMENTO7 meses ago

JIBÓIA

CIÊNCIA & TECNOLOGIA11 meses ago

DarkWeb, DeepWeb e DarkNet: qual a diferença?

CIÊNCIA & TECNOLOGIA11 meses ago

Como ver os Stories anonimamente no Instagram

Nacional7 meses ago

CNS reconhece religiões afro como complementares ao SUS

Segurança Pública11 meses ago

Adulteração de chassi de reboques está mais próximo de se tornar crime

Nacional11 meses ago

Advogado de Adélio Bispo recebeu R$ 315 mil do PCC, segundo inquérito da PF

Nacional12 meses ago

Parlamento português veta discurso de Lula em sessão solene da Revolução dos Cravos

ENTRETENIMENTO5 meses ago

Conheça Rocco, um cão mistura de rottweiler com husky siberiano: ‘Parece o Batman’

CIÊNCIA & TECNOLOGIA11 meses ago

Novo botão ágil do YouTube Music baixa até 200 músicas de uma vez

CIÊNCIA & TECNOLOGIA12 meses ago

Como recuperar mensagens apagadas do Instagram

CIDADE10 meses ago

Sapé: ex-candidato a prefeito Luizinho, vice e coligação são condenados a pagar R$ 300 mil por infringir norma eleitoral e sanitária

Nacional10 meses ago

Bomba: Alexandre de Moraes monitorava todos os passos de funcionários do gabinete de Bolsonaro e da primeira-dama desde 2021, diz Folha

CONCURSO E EMPREGO12 meses ago

João Pessoa abre vagas para cuidador voluntário com bolsa de R$ 700

AGRICULTURA & PECUÁRIA2 meses ago

Com produtor revisando tamanho da safra, 2024 inicia cercado de incertezas para a soja

ENTRETENIMENTO12 meses ago

Patrulha Canina ganha adaptação para o Teatro Pedra do Reino neste domingo(05)

Nacional11 meses ago

Exclusivo: imagens mostram baixo contingente de segurança no Planalto e atuação do GSI no 8 de janeiro

Nacional10 meses ago

Lira manda novo recado ao governo Lula: “grande resistência entre os parlamentares”

Judiciário6 meses ago

Informativo destaca não exigência de provas para fixação de indenização mínima por danos morais

Judiciário5 meses ago

Entender Direito: especialistas discutem os embargos de divergência

ENTRETENIMENTO12 meses ago

COMO ELIMINAR COCHONILHA DE RAIZ DE PLANTAS EM VASO

CONCURSO E EMPREGO2 meses ago

Carreiras em Extinção? Veja Quais Podem Sumir

ECONOMIA12 meses ago

Petrobras tem lucro recorde de R$188,3 bi em 2022 com alta do petróleo

Internacional2 meses ago

Secretário-geral da ONU condena atos criminosos no Equador

Internacional2 meses ago

Fome já é generalizada em Gaza, alerta ONU

ECONOMIA2 meses ago

Calendário do Bolsa Família 2024: saiba quando você vai receber

Saúde2 dias ago

VARIANTES DA DENGUE EM CIRCULA PELO BRASIL

Nacional2 dias ago

CENSO 2022: COLETA DE ESGOTO ATENDE 62% DOS BRASILEIROS

Educação & Cultura2 dias ago

ESCOLAS SUECAS REDESCOBREM LIVROS – E ALUNOS SE SURPREENDEM

ENTRETENIMENTO2 dias ago

BLOQUEIE AS PRAGAS

Saúde2 dias ago

AEDES AEGYPTI: MOSQUITO TRANSMISSOR DA DENGUE PODE INFECTAR PESSOAS DIRETAMENTE

CIÊNCIA & TECNOLOGIA3 dias ago

PETROBRAS: PROJETO PIONEIRO QUE SEPARA GÁS CARBÔNICO E PETRÓLEO NO FUNDO DO MAR

ECONOMIA3 dias ago

BRASIL REGISTRA ALTA DEPENDÊNCIA EM COMMODITIES NA ECONOMIA

ENTRETENIMENTO3 dias ago

TOMATE, PIMENTA E PIMENTÃO PLANTADOS COM O QUE IRIA PARA O LIXO

ECONOMIA3 dias ago

ECONOMIA DA SOLIDÃO: CRESCE MERCADO DE MAIS DE UM BILHÃO DE PESSOAS

Saúde3 dias ago

COMO ‘RECONFIGUREI’ MEU CÉREBRO EM SEIS SEMANAS

Saúde1 semana ago

DENGUE: PREOCUPAÇÃO EM ÁREAS RURAIS CRESCE COM DISPARADA DE CASOS

ECONOMIA1 semana ago

AUMENTO DE ARRECADAÇÃO E AJUDA PARA META FISCAL DO PAÍS

ECONOMIA1 semana ago

GOVERNO AVALIA LIBERAR UMA NOVA FORMA DE USO DO FGTS

Saúde1 semana ago

NOMOFOBIA: DEPENDÊNCIA DO USO DO CELULAR JÁ ATINGE IDOSOS

Saúde1 semana ago

DENGUE: INFECTOLOGISTA TIRA DÚVIDAS SOBRE VACINA, REPELENTES E SINTOMAS

Judiciário1 semana ago

CHEGOU A HORA DE COMBATER OS ULTRAPROCESSADOS NO BRASIL

CIÊNCIA & TECNOLOGIA1 semana ago

ENTRA EM VIGOR A LEI EUROPEIA QUE REGULAMENTA TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

ENTRETENIMENTO1 semana ago

PIERNIKI DOMOVE – A BOLACHA DE MEL POLONESA

ENTRETENIMENTO1 semana ago

PROJETO DE RESGATE À ARARAJUBA

ENTRETENIMENTO1 semana ago

CONHECI O CAVALO DE LAMPIÃO: A VERDADEIRA HISTÓRIA DO CAVALO NORDESTINO

ENTRETENIMENTO2 semanas ago

AS MÚSICAS QUE CONTAM A HISTÓRIA DE BERLIM

Saúde2 semanas ago

OS REMÉDIOS QUE NÃO SÃO INDICADOS PARA DENGUE

Educação & Cultura2 semanas ago

QUATRO ASPECTOS FASCINANTES DA VIDA DE PITÁGORAS (ALÉM DA MATEMÁTICA)

AGRICULTURA & PECUÁRIA2 semanas ago

EMBRAPA DESENVOLVE PESQUISA PARA COMBATE AO MOSQUITO DA DENGUE

Nacional2 semanas ago

O IMENSO DESERTO QUE ESTÁ NASCENDO NO BRASIL

Saúde2 semanas ago

Quer saber mais sobre vacinas obrigatórias? Confira este vídeo!

CIÊNCIA & TECNOLOGIA2 semanas ago

BENEFÍCIOS DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO AGRO

Saúde2 semanas ago

DENGUE: COMBATER O MOSQUITO É ESSENCIAL; VEJA DICAS

Judiciário2 semanas ago

STF JULGA APLICAÇÃO DO CONCEITO DE ‘IDENTIDADE ECOLÓGICA’ E PREOCUPA ECOLOGISTAS

CIÊNCIA & TECNOLOGIA2 semanas ago

INCLUSÃO DO BIOGÁS NA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

Advertisement
Advertisement

Vejam também